Chupando um estranho no ônibus, conto erótico por Rockeirinha

Será que algum passageiro viu a peripécia deles?

Enfrentar uma viagem de ônibus por uma noite toda é bem cansativo. Contudo lá ia eu, encarar o trajeto que até então era bem desgastante e monótono, visto que eu o percorria várias vezes ao ano e conhecia muito bem cada paisagem daquela estrada.

Cansada após um longo dia de trabalho, embarquei naquele ônibus apenas querendo chegar logo. A passagem que comprei foi de última hora, conseguindo uma vaga somente no fundo do ônibus. Ao sentar-me, a pessoa que seria meu colega de percurso já estava ali. Não costumo reparar muito em desconhecidos, mas aquele homem me chamou a atenção: alto, moreno, forte, o legítimo pedaço de mau caminho.

Ao ouvir daquela boca: “Boa noite”, eu senti minha buceta pulsar. Que voz grossa e excitante!  

Como sou prevenida, levei travesseiro e um cobertor fino, afinal, quem não gosta de um pouco de conforto, né?! Meu pensamento era: vou dormir logo, assim nem verei o tempo passar. 

No meio da noite, sinto uma mão grossa passar em minhas costas, de cima até embaixo, próximo da bunda. Achei que estava sonhando, mas não! Que cara abusado, pensei!

Me virei e perguntei: “Tem algo errado? O que você está fazendo?” Ele se desculpou e eu voltei a dormir.

Mais tarde sinto as mãos dele me acariciando de novo. Mas dessa vez pensei: Quer saber, eu quero também, por que não?! Virei e o beijei. Meu sangue fervia como nunca. Aquilo me deu a sensação de uma aventura proibida.

Senti um tesão incrível ao acariciar aquele corpo forte, todo definido. Foi aí que ele, abrindo o zíper e me mostrando o pau mais monstruoso que eu vi até hoje, me pediu: “Você pode dar uns beijinhos nele?”

Momentos de tensão, afinal, eu nunca tinha colocado um pau nessa boquinha. Fui franca e falei a verdade. E ele, com aquele pau quase explodindo de vontade e bem próximo do meu rosto, me fala: “Eu te ensino!”

Me lembro como se fosse hoje. Ele conduzia minha cabeça com carinho em direção ao pau dele e eu ia abocanhando aos poucos. As veias daquela rola pareciam ter vida própria, a cabeça era enorme, eu sentia pulsar, entrava e preenchia cada espaço da minha boca. A minha língua estava muito quente e minha boca tão molhada que eu babei muito naquele pau.

Enquanto isso, ele passava os dedos dentro da minha calcinha, acariciando cada pedacinho da minha bucetinha super carnuda. Com certeza ele a sentia super molhada! E, mesmo sendo a primeira vez que esses lábios tocavam uma rola, acho que não me sai mal não. 

Você deve estar pensando: como esses dois malucos e safados fizeram isso no ônibus sem serem notados? Bom, as luzes estavam apagadas, estávamos no último banco, aquela coberta e aquele travesseiro foram úteis como nunca para ocultar um pouco o que estávamos fazendo e os demais dormiam (mas eu tenho certeza que o passageiro ao lado viu tudo e bateu uma punheta bem gostosa nos observando). 

A adrenalina deixa tudo mais excitante, não concorda ? Estávamos pegando fogo. Eu desejava muito naquele momento ser possuída por aquele desconhecido, ser pega por aqueles braços grandes, ser chamada de putinha e ser penetrada de uma forma bruta como nunca tinha sido.

Aquele pau ia deslizar direto para dentro e só de imaginar como seria gostoso, parecia que eu iria gozar litros e litros e inundar de vez aquela calcinha. Mas a questão era: como ele poderia me comer bem gostoso sem os outros passageiros verem?

Isso é assunto para o próximo conto!

Rockeirinha, camgirl do CameraHot

Rock’n’roll e putaria, tudo a ver, né? Rockeirinha é uma camgirl sem frescuras se aventurando nos contos eróticos. A loira do Sul de 28 anos e dona de uma pepeca super gulosa ama compartilhar suas experiências, curte tatuagem, musculação e tem muita curiosidade sobre tudo que tenha a ver com sexo. A sala dela é um ambiente seguro para você contar seus desejos e vontades. Vai que ela realiza para vc?!

Avatar
Sexo, mulheres, vídeos e ensaios eróticos! Isso e muito mais do universo masculino com aquela pitada de humor, sacanagem e informação.