Exibicionismo, agorafilia e o prazer em todo mundo ver

Saiba mais sobre os fetiches mais extrovertidos de todos

fetiche

Tem gente que gosta de olhar. O que seria dessa galera sem todos aqueles que gostam de ser vistos? São muitos os que deixam a timidez completamente de lado quando se trata de se expor e realizar um fetiche. O exibicionismo tem várias formas e faz a alegria de todo mundo, tanto dos que tem prazer em se mostrar quanto dos que tem o prazer de ver.

Se você quer ficar de olho para conferir cada detalhe nessa forma tão ousada de tesão, esse é o seu dia de sorte. Veja tudo sobre um dos fetiches mais populares e deliciosas que existem. Saiba o que é o exibicionismo e tudo que está por trás do fetiche em se visto. Tem alguma chance de não dar uma olhada nisso?

O que é o exibicionismo

Diferente de outros fetiches, o exibicionismo é uma palavra que não se restringe apenas ao mundo do sexo. Se você fala que alguém é exibicionista, essa pessoa pode apenas ter a mania de ostentar ou de exibir tudo o que tem. Por outro lado, o exibicionismo é, sim, uma parafilia e tem uma definição bem especificada.

Quando falamos de fetiche, o termo trata-se do ato de expor publicamente ou semi-publicamente as partes do corpo que geralmente não são mostradas. Por exemplo: os seios, os genitais ou a bunda.

A prática surge compulsão de se expor para um grupo enquanto busca satisfação sexual. Isso pode acontecer em forma de causar tesão em quem vê ou em causar choque, as duas coisas podem ser o gatilho do prazer do fetichista.

Tipos de exposição

Existem vários tipos de comportamento bem diferentes uns dos outros que podem ser classificados como exibicionismo. Afinal, cada fetiche pode ser demonstrado de diversas maneiras. Saiba algumas das principais formas de exibicionismo:

Anasirma — O ato de levantar o vestido ou a saia enquanto não se usa calcinha para expor os genitais. Um dos nossos favoritos.

Anasirma

Bundalelê – Precisa explicar? É o clássico de abaixar as calças e mostrar a bunda. Geralmente em sinal de desrespeito.

Candaulismo — É quando uma pessoa expõe sua parceira ou seu parceiro para outras pessoas de uma maneira provocante sexualmente. É claro que tem que ser consentido.

Dogging — Mais próximo da agorafilia do que do exibicionismo que consiste em fazer sexo em lugares ermos enquanto curiosos estão olhando.

Escatologia telefônica — O prazer em fazer ligações obscenas para conhecidos ou desconhecidos. Apesar de não ter o típico componente presencial, pesquisadores consideram tal fetiche como um tipo de exibicionismo.

Flashing — Sabe quando uma gata dá aquela levantadinha rápida na camiseta para mostrar os peitos? Esse é o flashing.

Flashing

Martimaclia — A atração sexual em ser visto por outros enquanto transa. Bem comum em uma suruba.

Reflectoporn — O ato de tirar a roupa e tirar uma foto enquanto é refletido por um objeto, como um espelho por exemplo. Sabe aquela novinha que tira nude no espelho? Ela pode ser uma adepta do reflectoporn sem saber.

Reflectoporn

Streaking — O ato de correr peladão em um lugar público. Nem sempre o intuito é sensual, mas, sim, de causar choque.

Apenas descrevendo alguns tipos, a lista já é bem longa. Mas existem milhares de outras formas ainda não definidas de praticar o exibicionismo. O negócio é ter prazer em se expor em público para ter tesão.

Exibicionismo e agorafilia: tem diferença?

A exibicionismo tem muitos laços com a agorafilia, apesar de cada uma ter suas especifidades. Enquanto um é exatamente prazer em mostrar partes do corpo, o outro fetiche dá um passo além. A agorafilia é o tesão em transar em lugares públicos.

Porém, ela nem sempre é um ato de exibicionismo. A gente explica o porquê. Quem é adepto da agorafilia realiza os seus desejos e aumenta sua adrenalina pelo simples risco de ser flagrado. Porém, ser visto não é o objetivo, como seria para um exibicionista.

A linha entre um e outro é bem tênue, mas existe. Quando a agorafilia e o exibicionismo se juntam, pode rolar um ato de martimaclia (que é o prazer em ser visto fazendo sexo) em público. Quantos nomes, não é mesmo? Nada mais justo, afinal, cada fetiche merece ter sua própria alcunha.

Exibicionismo e voyeurismo, uma dupla que se completa

Se alguém quer ser visto, o mais certo é que tem alguém para ver. Por isso que o exibicionismo e o voyeurismo podem andar de mãos dadas sempre que possível. Afinal, o que seria de quem faz o show sem ter público?

O bom é que existe um pouquinho de vouyeur e um pouquinho de exibicionista em todas as pessoas. Sendo assim, os dois fetiches sempre vão encontrar uma forma de se realizar. Por isso são tão populares.

Formas criativas de praticar o fetiche

Nem todo mundo que quer se expor quer também correr o risco de ser preso ou sofrer uma sanção por conta disso. Afinal, o tal do atentado ao pudor não está na ponta da língua à toa. Portanto, exibicionistas por aí afora encontram formas criativas de realizar o próprio prazer e se manter na segurança.

Um exemplo disso, são as camgirls, gatas que usam a webcam para se mostrar e sensualizar. O CameraHot é o palácio dessas belas e você pode encontrar milhares de modelos querendo mostrar tudo para você.

Mas não é só na internet que as exibicionistas encontram seu prazer. Quem nunca viu um bom e velho concurso de camiseta molhada? Lá é uma outro exemplo de forma criativa e segura de realizar o fetiche de ser vista sem sofrer com isso. Existem milhares de outras maneiras, o negócio para qualquer exibicionista é usar de sua engenhosidade para se mostrar.

Você curtir se exibir ou prefere ficar mais olhando? Conta pra gente, vai!

 

Sexo, mulheres, vídeos e ensaios eróticos! Isso e muito mais do universo masculino com aquela pitada de humor, sacanagem e informação.