Mina, será que você está num relacionamento abusivo?

Quando a relação amorosa passa a ser uma relação psicologicamente perigosa

Não tem tempo de ler? Tá só com preguiça? Escute essa matéria clicando no player aqui.

O tema relacionamento abusivo tomou o Brasil de assalto, no início de 2015, quando a jornalista Jout Jout publicou o emblemático vídeo Não tira o batom vermelho.

De lá pra cá, muitas brasileiras compartilharam histórias violentas em relações abusivas. Contudo, ainda hoje, outras tantas mulheres não enxergam as agressões a que são submetidas.

Exemplo disso foi o espetáculo Marcos X Emilly no último Big Brother, quando muitas garotas puderam ver por uma lente de aumento (a televisão) que seu amor é um verdadeiro relacionamento abusivo.

Quando o relacionamento é abusivo?

Não vimos a brother Emily sofrer qualquer agressão física e mesmo assim seu affair na casa foi expulso do programa.

De acordo com a Lei Maria da Penha a violência psicológica, moral e até patrimonial são crimes contra a mulher. Se há crime é grave sim. Então, vamos conhecer 10 dessas atitudes violentas num relacionamento abusivo.

  • “você é burra!” ou “você está errada”: te humilha constantemente, pois você não é capaz de compreender nada do que ele fala;
  • ou “você é louca!”: quando ele faz com que você questione seu entendimento sobre tudo, achando que a pessoa errada é você mesma;
  • você tem sorte de tê-lo: chantagem e ameaça. Porque, além dele, ninguém nunca mais vai querer uma mulher como você;
  • age contra sua própria vontade: você faz coisas que jamais faria somente para agrada-lo ou por medo de perde-lo;
  • hematomas: se ele te segura à força quando discutem, te empurra ou te derruba;
  • você faz dele uma pessoa agressiva: não bastam as ameaças, ele te culpa por ser violento, você que transformou ele num monstro controlador; 
  • ele controla suas escolhas: o ciúmes e a possessividade ditam o que você deve vestir, com quem deve falar, onde pode ir, o que pode comprar;
  • ele não te bate: mas vive socando, empurrando, quebrando e arremessando objetos enquanto está chateado com algo que você supostamente fez; 
  • ele grita: especialistas afirmam que a violência é gradual. Começa com gritos, passa para um beliscão e por fim agressões físicas severas;
  • ele se arrepende: e promete que irá mudar por você. Nessa hora você desiste do término, mas os abusos voltam depois de um tempo? 

Diferente da violência física, quando qualquer pessoa pode denunciar a violência contra a mulher, num relacionamento abusivo a própria vítima precisa buscar ajuda, pois não há marcas visíveis pelo corpo.

Lembre-se: procure sempre por ajuda. Seja conversando com alguém, ligando para a Central de Atendimento à Mulher (telefone 180) ou indo à uma Delegacia da Mulher (Deam). Essas atitudes podem te ajudar a sair de um relacionamento abusivo.

Lembre-se: procure ajuda.

Avatar
Sexo, mulheres, vídeos e ensaios eróticos! Isso e muito mais do universo masculino com aquela pitada de humor, sacanagem e informação.