Os gritos que ouvia da vizinha, conto erótico por April

Será que a April conseguiu pegar a vizinha?

Olá sou a April, alta, magra, mas como dizem: com aquela bunda de Brasileira.

Nesta semana quero contar sobre os gritos que eu ouvia da vizinha.

Amanda é minha vizinha da casa da direita. Morena, linda, não tão alta e com seios fartos. Seus olhos eram cor de mel. Ela sempre me chamou atenção. O pouco que eu sabia era que ela fazia veterinária e morava com os avós. Sua irmã mais velha ia se casar no interior. Com o casório, seus familiares viajaram e ela ficou por conta das provas da faculdade.

Era tarde de sexta-feira quando eu ouvi o primeiro gemido. Alto, forte e muito sexy. Eu lavava a louça e tive que fechar a água para acreditar no que eu ouvia.

Era a Amanda, aquela morena cheirosa gemendo ali pertinho de mim. Separada por um muro. Isso não estava certo.

Ainda de luvas tive que arrumar meu sutiã, pois meus mamilos já estavam excitados. Tirei as luvas, tirei minha roupa e enquanto ouvia aquele som maravilhoso (muito sexy, um pouco grave, muito menininha e um pouco tremido) encostada na pia com a bunda entre as vasilhas abri minha perna e me masturbei. 

Meus gritos se juntaram com o dela. Hum… vem… ai… ai… assim…

Infelizmente, não tive coragem para atacar ainda.

Lá pra umas 21:00 ela começou novamente. Mas eu tinha que ir a um jantar, maldade. Entrei no banho, me ensaboei e quis gozar novamente. Sentei na banheira e enfiava meu dedo bem fundo na minha buceta. Eu apertava meus mamilos imaginando que era a boca dela ali.

Ao voltar do meu compromisso, já alta por conta dos drinks, tomei coragem e bati lá na casa dela. Amanda demorou um pouco, mas veio me receber. Linda, usava um conjuntinho desses de dormir. Na hora reparei que ela estava sem calcinha. Nossa.

Perguntei o clássico: 

“Você tem um pouco de açúcar pra me dar?”

Ainda bem que ela não quis perguntar mais nada, eu não teria respostas prontas. 

Ela só sorriu e falou: 

“Nossa mulher, te ouvi gemendo hoje a tarde, bem na hora que eu também estava gozando com o meu vibrador novo. Quer conhecer?”

Eu fui ao delírio. E ela continuou: 

“Entra, estou sozinha.”

Me beijou quente, já dando aqueles gemidos baixinhos. Sua língua, macia. Ela tirou meu fôlego. Me pegou com carinho pela cintura e fomos para a cama.

Eu senti o lençol fresquinho, minha pele toda arrepiada.

Coloquei ela em cima de mim, no meu colo. Passava meus dedos na barriga dela. Levantei a camisetinha e peguei aqueles seios fartos. Nossa, era a melhor coisa do mundo que estava em meus lábios. 

Amanda deu uma puladinha em meu colo e disse: 

“Posso abaixar essa sua calça social? Você está muito séria.”

Respondi que ela podia fazer o que quisesse.

Ela saiu por um instante, me deixando ali sozinha com meus dedos, quando voltou tinha um vibrador imenso, disse: 

“Vamos usar juntas?”

Era muito tesão, o corpo gostoso daquela morena se roçando em mim. Aquele vibrador, todo forte em nossas pernas.

E gritamos as duas, molhadas…

Ela enfiava com força. Me puxava, segurava meu cabelo e metia todo aquele objeto grande em minha buceta. Eu a chupava. Ela estava quente.

Ficamos até altas horas da madrugada gozando juntinhas, até que infelizmente ela lembrou: 

“Nossa, amanhã é sábado tenho prova às 8:00. Tudo bem se você voltar no almoço para eu separar mais uma porção de açúcar?!”

April, camgirl do CameraHot

Essa Camgirl é escritora de contos eróticos desde os 21 aninhos de idade. Entende muito bem o que um homem gosta e fala tudo que querem ouvir. Enquanto escreve sempre fica bem molhada e agora anda deixando os homens loucos por aqui também. Ela é alta, magra com o corpo natural, peitinhos empinados com piercing mega sexy e sem nenhuma tattoo. Ela gosta de dizer sempre: Magra, mas com a aquela bunda de brasileira.

Avatar
Sexo, mulheres, vídeos e ensaios eróticos! Isso e muito mais do universo masculino com aquela pitada de humor, sacanagem e informação.