Videogame na casa do amigo, conto erótico por Sweet Whip

Será que era um convite pra jogar ou pra trepar?

sweet-whip2

Eu tinha 17 anos quando tudo aconteceu, meu amigo chamado D, de 23 anos, me convidou pra jogar um game que havia acabado de lançar e eu muito curiosa e morrendo de vontade de estar perto daquele cara gato de corpo definido, aceitei o convite na hora, combinamos de nos encontrar na casa dele.

O dia estava perfeito, tomei banho e me arrumei, coloquei a menor calcinha que encontrei, era de renda cor de rosa, senti um arrepio, pois o convite foi claro (jogar aquele jogo novo), que diabos eu estava querendo com aquela calcinha provocante?!

sweet-whip

Sem contar que eu era virgem, mas tudo bem, afinal, se ele quisesse algo eu já estaria preparada, coloquei um shortinho jeans e um top da minha banda favorita, amarrei os cabelos em um rabo de cavalo, calcei meus tênis e fui ao encontro daquele garoto gostoso que eu estava doidinha pra pegar.

No caminho eu ficava imaginando aquele homem me acariciando com as suas mãos fortes e me envolvendo em seus braços grandes e musculosos enquanto eu sentia aquele cheiro maravilhoso e sedutor que eu sentia sempre que estava perto dele, comecei a arrepiar no meio da rua, me senti uma safada por pensar nessas coisas enquanto ele me esperava apenas para jogar videogame.

Chegando na rua dele, vi de longe ele parado me esperando, estava de bermuda, ela estava um pouco baixa na frente e dava pra ver as entradinhas do quadril, estava calor e eu comecei a imaginá-lo todo suado, eu passando as mãos em todo aquele corpo tesudo que tinha, isso estava me deixando excitada e eu não sabia como disfarçar.

Quando nos cumprimentamos ele beijou meu rosto e falou pra eu subir na frente, meu short era bem curtinho e largo, enquanto eu subia fiquei imaginando ele olhando para o meio das minhas pernas e comecei a subir mais devagar, isso estava me deixando molhadinha.

No quarto dele o videogame estava ligado e a capa do jogo ao lado, realmente o convite foi verdadeiro, naquela hora confesso que me decepcionei, virei para trás com um sorriso meio sem graça…

Sem esperar ele estava parado bem atrás de mim, com aqueles braços fortes e seu cheiro maravilhoso, eu estremeci, dava pra ver o volume do pau pela bermuda, a essa altura, tudo dentro de mim estava ardendo e latejando, eu estava louca pra dar para aquele homem, que virgem safadinha eu era!

Olhei bem nos olhos dele, eram negros, o nariz era alongado, o rosto com o maxilar bem marcado, olhar penetrante e cabelos escuros. Percebendo o meu olhar ele disse “ Te peguei, sua safadinha“, eu naquele momento só queria me entregar para ele, então sorri.

Ele me pegou pelo rabo de cavalo fazendo a minha cabeça inclinar um pouco para trás e passou os dedos no meu pescoço bem lentamente, continuou descendo, passando pela borda do meus seios e mamilo até chegar na minha cintura, ele me puxou pra perto dele e pressionou meu corpo contra o dele.

Eu podia sentir minha calcinha molhando naquele exato momento e o pau dele duro e latejante na minha virilha, eu só queria aquele pau dentro de mim e estava ficando alucinada com o calor daquele corpo e disse “me come D”, ele se afastou enquanto tirava a bermuda e eu não conseguia parar de olhar aquele corpo, enquanto ele tirava a roupa pedia pra eu tirar as minhas, fiquei só de calcinha, pois estava sem sutiã.

Quando olhei para o pau dele comecei a estremecer, não conseguia pensar em outra coisa a não ser em colocar aquilo dentro de mim. O pau dele tinha a cabeça rosada, era grosso e media uns 20cm, eu estava apaixonada, queria cair de boca naquela escultura divina.

Ele me pegou no colo e me jogou na cama, subiu em cima de mim e começou a chupar meus seios, ninguém nunca havia tocado meu corpo, eu estava sentindo algo totalmente novo, minha calcinha estava totalmente melada, eu podia sentir, e aquele homem chupando meus seios era a melhor coisa do mundo!

Os beijos foram ficando cada vez mais baixos, ele desceu até a minha virilha e foi tirando a minha calcinha com a boca.

Eu não podia acreditar naquilo, ele estava passando a língua na minha buceta e eu só sabia pedir para ele continuar, a língua dele era bem quente e úmida, ele passava ela lentamente pelo meu clitóris e depois enfiava dentro de mim, cada vez mais aumentando a velocidade.

Tive o meu primeiro orgasmo na boca do D, ele não parou, já haviam se passado 15 minutos e eu estava pronta para o próximo orgasmo quando ele levantou e deu com o pau dentro da minha buceta.

Meu deus, o que era aquilo, eu não senti doer nada! Ele meteu com força quatro vezes, depois deitou e pediu pra eu deitar de costas em cima dele, aquela era e é a famosa posição Picada do escorpião, a posição que ele me ensinou e é minha favorita até hoje.

Sentei em cima dele de costas, ele via todo o meu bumbum e cuzinho e eu via aquele pau grande latejando bem na minha frente, ele mandou eu sentar no pau dele e depois deitar, separei as pernas, me apoiei nos joelhos e montei naquele pau duro, eu tremi todinha e soltei um gemido de prazer, dava pra sentir todo o comprimento dele dentro de mim, fui deitando devagar.

Meus joelhos dobrados e os ombros apoiados no peitoral dele, eu comecei a fazer o movimento de sobe e desce bem devagar, ele segurou meu quadril e disse “vai safada“, o movimento foi acelerando cada vez mais enquanto ele apertava meus seios e falava no meu ouvido, “senta sua putinha gostosa, senta no meu pau “.

Aquilo era muito excitante pra mim, eu gozei pela segunda vez, a penetração naquela posição era muito intensa, eu podia sentir todo o pau dele preenchendo a minha buceta apertadinha de garota virgem.

Eu sentava rápido dando algumas sentadas mais intensas e demoradas enquanto gozava, ele puxava meus piercings nos mamilos dizendo “goza gostosa, goza que o pai vai te dar leitinho”, eu adorava ouvir ele dizer essas sacanagens no meu ouvido.

O pau dele ficou todo melecado, eu fiz xixi enquanto gozava no pau dele e ele me chamou de puta cadela safada, eu gostei, pois ainda estava sentindo muito tesão.

Ele me puxou pela cintura pra perto dele, sentou na beirada da cama e me colocou deitada com o bumbum pra cima, eu não entendia o que estava acontecendo, mas dentro de mim ainda latejava de prazer e o pau dele continuava duro, roçando nos meus seios enquanto eu estava deitada nas pernas dele.

Ele deu um tapa no meu bumbum, eu gritei e me estiquei, aquele tapa doeu, eu podia sentir minha pele formigar, ele apertou meu bumbum e disse “isso foi por ter mijado no meu pau, sua cadela safada“, eu fiquei mais excitada, ele deu outro tapa e mais outro, o barulho era alto, fazia um som de plaaf, meu bumbum já estava quente, meus mamilos totalmente endurecidos, no total foram 10 tapas, só por eu ter feito xixi no pau dele.

De pé ele me disse “olha bem pro meu pau! quero que você limpe toda essa sujeira”, eu me levantei para ir ao banheiro pegar papel, ele olhou pra mim com aquele olhar de desaprovação e falou “onde você vai? é pra você limpar com essa sua linda boquinha virgem“.

Eu fiquei chocada, mas eu estava vidrada naquele pau, naquela altura em que eu só sentia tesão e meu bumbum queimava mais que tudo, eu só queria meter a minha boquinha naquele pau de 20 cm.

Eu me ajoelhei diante dele, mantive meu olhar no dele, peguei o pau com uma mão e com a outra segurei o quadril dele, estiquei a minha língua pra fora da boca, ela estava cheia de saliva e meus lábios já estavam bem molhados, eu encostei a ponta da língua na cabeça do pau dele, passei ela como se passasse em um pirulito, ele continuava me encarando, fiz o mesmo movimento novamente só que sem tirar da boca.

Ele tremeu e soltou um gemido, “isso cachorra, limpa tudo”, eu sentia as veias do pau vibrarem enquanto eu colocava o pau gostoso dele todo dentro da minha boca, a minha mão que estava bem na base do pau fazia um movimento de vai e vem bem devagar, no mesmo ritmo que os meus lábios, a minha língua passeava por aquele pau, bem molhadinha, eu estava cheia de tesão.

Com a mão na minha cabeça ele começou a acelerar o movimento, eu estava sendo obrigada a enfiar o resto do pau na minha garganta! Eu não acreditava que aquilo fosse possível, ele falava “Vai cadelinha, engole meu pau!” na quarta estocada rápida eu consegui colocar aquele pau delícia na minha goela.

Eu estava com o pau dele na minha garganta, pensei que fosse coisa da internet, eu mal podia acreditar, eu já estava engasgando, ele não parava de empurrar minha cabeça no pau dele, notei que ele estava prestes a gozar.

Então fechei a minha garganta, esse movimento fez com que apertasse a cabeça do pau dele, acho que ele percebeu, pois soltou um gemido delicioso e foi diminuindo a pressão na minha cabeça, coitadinho!

Quando ele afrouxou as mãos, foi aí que eu revidei, suguei o pau com vontade enquanto segurava as bolas dele, não deu outra, D gozou com vontade na minha boquinha, era tanta porra que quando eu tirei aquele pau de dentro da minha boca ele ainda soltou três esguichos de leite na minha cara, eu deixei o leite escorrer vagarosamente pela minha boca, para que ele pudesse ver, ele sorria, eu também, eu adorei limpar aquele pau.

sweet-whip2

Depois de vestidos, ele me abraçou e falou no meu ouvido: “Quer jogar videogame?”

Sweet Whip adora dançar e bater papo! A gata curte rock, cinema, séries, games e adoro uma brincadeirinha BDSM, não é a toa que me chamo Whip, rsrsrs. Na sala dela, quem entra no privado já ganha uma chicotada no bumbum, então, pode contar os seus fetiches mais estranhos que ela não conto pra ninguém e quem sabe não realiza lá no CameraHot?

Avatar
Sexo, mulheres, vídeos e ensaios eróticos! Isso e muito mais do universo masculino com aquela pitada de humor, sacanagem e informação.